UNESP de Jaboticabal, Universidade referência em Ciências Agrárias, atua como entidade chave na governança do APL do Agronegócio.

Arranjos Produtivos Locais (APLs) são estruturas criadas e reconhecidas por fortalecer regionalmente um ecossistema ou setor específico, que contam com uma governança mista para alcançar esse objetivo. Tais Arranjos impactam diretamente no desenvolvimento de forma descentralizada e, ao mesmo tempo, integrada, permitindo o estabelecimento de pontes entre o território e as atividades econômicas.

Em 2020, depois de um extenso trabalho, a cidade de Jaboticabal foi reconhecida por ser um Arranjo Produtivo Local do Agronegócio. Para isso, conectaram-se diversas entidades parceiras, como: Secretaria Municipal da Indústria, Comércio e Turismo; Secretaria Municipal da Agricultura e do Meio Ambiente; Instituto Tecnológico de Jaboticabal (ITJ); Sebrae; FATEC; COPLANA – Cooperativa Agroindustrial;  FUNEP – Fundação de Apoio à Pesquisa, Ensino e Extensão; Sindicato Rural de Jaboticabal; Aciaja – Associação Comercial e Industrial de Jaboticabal.

Além disso, para a articulação do APL foi fundamental o estabelecimento de uma entidade gestora, definida como a Unesp/FCAV com o apoio do ambiente de inovação Inovajab – Incubadora de Base Tecnológica localizada no campus do município.

Andreísa Flores, mestre e doutora pela Unesp/FCAV, além de gestora da Inovajab, destaca: “A região de Jaboticabal é um polo de desenvolvimento de tecnologias para a cultura do amendoim e toda a cadeia produtiva já é bastante organizada. Essa organização facilitou a conexão entre diferentes agentes e se expandiu não só para o âmbito do Amendoim, mas também para outros setores do agronegócio, como saúde animal, produção de insumos e implementos agrícolas. Em grupo, buscamos formas de gerar cada vez mais inteligência coletiva através da diversidade e da colaboração, e queremos que nossa região alcance vantagem competitiva no cenário mundial do agronegócio”.

Rafael Parras, graduado, mestre e doutorando pela Unesp/FCAV, e, assim como Andreísa, gestor da Inovajab, complementa pontuando como foi o processo para buscar e conseguir o reconhecimento como Arranjo Produtivo Local: “Após nossa participação em um evento da Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Estado de São Paulo focado em APLs do estado, ficamos sabendo do edital de reconhecimento e iniciamos a busca das informações e documentos necessários. Vimos que Jaboticabal tinha muito potencial para conseguir esse feito, e após a submissão de toda a documentação e a realização de processos como visitas técnicas, fomos reconhecidos”.

A conquista desse feito com a articulação da comunidade Unespiana de Jaboticabal se soma a outras contribuições da Universidade em prol do desenvolvimento do setor do Agronegócio.

O professor da Unesp/FCAV, Odair Aparecido Fernandes, que atua como docente na área de Entomologia Agrícola há 35 anos, coordena o primeiro Centro de Pesquisa em Engenharia da Unesp, que tem foco na Fitossanidade em Cana-de-açúcar e foi estabelecido por uma parceria entre a Universidade Estadual Paulista, a Fapesp e o Grupo São Martinho. O professor comenta:

“Nossa proposta é que esse Centro seja uma referência nacional e internacional em manejo de pragas e doenças. Esse é um investimento público-privado que tem como um de seus objetivos a pesquisa e a formação de pessoas com excelência, dentro do contexto dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável preconizados pela ONU. O projeto inicial tem a duração de 5 anos (com renovação para mais 5 anos), e deve envolver pelo menos 70 integrantes, entre pesquisadores, técnicos e discentes de graduação e pós-graduação. Como é possível observar, temos uma força enorme; o Centro de Engenharia e o reconhecimento como APL são prova disso”.

Além de Andreísa, Rafael e do professor Odair, outros agentes da Unesp foram essenciais para o fortalecimento do ecossistema do agronegócio em Jaboticabal, tais como: o professor Pedro Luis da Costa Aguiar Alves, que, quando foi diretor da FCAV, deu início às parcerias com a prefeitura do município e viabilizou o início das atividades da Inovajab; o professor Antônio Sérgio Ferraudo, atual diretor da FCAV, que segue dando amplo apoio às iniciativas de empreendedorismo e inovação; o professor David Ferreira Lopes Santos, docente do Departamento de Economia, Administração e Educação, que também atua no fortalecimento estratégico dessas ações junto aos alunos da Unesp; Diego Siqueira, egresso da Unesp que atualmente é sócio da Quanticum, startup filha da Universidade, e atuou na construção do ambiente de inovação Inovajab em conjunto com Andreísa e Rafael.

A presença marcante de agentes comprometidos com a estruturação de parcerias e colaborações em prol do desenvolvimento do agronegócio também é observada em outras instâncias do município. Na sequência, estão destacadas as visões e contribuições de pessoas com atuação no setor público e na sociedade civil para a força do Arranjo Produtivo Local de Jaboticabal. É válido ressaltar que as articulações para o reconhecimento do APL iniciaram-se na gestão passada da prefeitura.

– José Carlos Hori (prefeito da gestão 2017-2020): José Carlos exalta a relevância da Unesp para Jaboticabal e a potência do município:

“Jaboticabal é uma cidade muito privilegiada. Estamos em um cinturão extremamente produtivo, com áreas cultiváveis entre as melhores do Estado e uma das maiores unidades de armazenamento de grãos do país. Além disso, temos mais de 50 anos com a implantação de um campus da Unesp, e a Universidade é uma grande locomotiva, parceira, incentivadora e fomentadora do agronegócio. É uma pérola que temos aqui. Inclusive, por conta desse protagonismo da Unesp, foi adquirido um terreno de 50 mil metros ao lado do câmpus com a expectativa futura de criar um Parque Tecnológico na cidade”.

– José Vantini Júnior –Secretário da Indústria, Comércio e Turismo da cidade (gestão 2017-2020): José ressalta que a Secretaria teve papel essencial para o levantamento de dados e a construção de um ambiente cada vez mais favorável ao APL. Além disso, foram fatores importantes a conquistado Título de Capital do Amendoim do Governo do Estado de São Paulo e a realização da Feira Nacional do Amendoim em 2019.

– Emerson Rodrigo Camargo –atual prefeito da cidade – Emerson já pontuou em diversas ocasiões,após assumir a gestão 2021-2024, que a Prefeitura de Jaboticabal seguiráatuando para ressaltar a relevância que o Arranjo Produtivo Local do Agronegócio tem para a região, e pretende apoiar cada vez mais as ações para o fortalecimento do APL, além de reforçar a importância da proximidade da Prefeitura com a Unesp. Segundo o prefeito, o reconhecimento como APL intensifica as oportunidades de emprego e renda, e amplia as expectativas de desenvolvimento.

– Lucas Souza Ramos – atual secretário de Indústria, Comércio e Turismo – Lucas ressalta que o Arranjo Produtivo Local traz mais condições e mais informações para a cadeia produtiva. “Estamos muito motivados para ampliar as ações do APL junto aos empresários a fim de viabilizar mais negócios e fortalecer ainda mais um setor que já representa 25% do PIB do nosso país”, diz.

– Renilda Lourenço Gomes– Atua há 15 anos na área Administrativa da prefeitura de Jaboticabal, com envolvimento direto com a Incubadora de Empresas de Base Industrial do município e diversas outras ações de fomento ao empreendedorismo. Para Renilda, o reconhecimento do APL destaca o protagonismo de Jaboticabal no agronegócio, setor que move a maior parte da economia do município. A expectativa é que sejam desenvolvidos projetos de amplo alcance para os atores do segmento agro, tais como leis de incentivo, projetos de demandas integradas e a melhoria contínua no ambiente de negócios.

– José Antonio de Souza Rossato Junior, presidente administrativo da Coplana, Cooperativa Agroindustrial de Jaboticabal, e egresso da Unesp Jaboticabal a nível de graduação e pós-graduação– José Antonio faz um alerta importante quanto às demandas dos seres humanos: “O mundo continua crescendo em população: em 30 anos teremos mais 2 bilhões de pessoas no planeta. Essas pessoas vão precisar de alimentos, fibras e bioenergia, e nós estamos na principal região sucroenergética e de produção de amendoim do País. A Coplana tem nessas duas culturas, juntamente com a soja, uma visão de crescimento a longo prazo, e o APL traz a possibilidade de consolidar de forma estratégica a cadeia local com uma visão global na atração de novos investimentos, parcerias e formas de desenvolvimento”.